CIRURGIAS

Cirurgias

PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS PARA A COLUNA

Somente uma pequena parcela de pessoas com doenças da coluna irá ter indicação para cirurgia, que ocorre quando o tratamento clínico para a dor não surtiu efeito ou quando aparecem alterações neurológicas com consequências como fraqueza nos braços, pernas ou dificuldade para urinar ou evacuar, por exemplo.

As cirurgias de coluna evoluíram muito nos últimos anos, oferecendo diferentes tipos para diferentes doenças. Hoje é possível fazer desde uma lesão em uma raiz nervosa dolorosa, com agulha através da pele, até reconstruir a coluna utilizando parafusos e barras, de modo em que o paciente é liberado para sair da cama no dia seguinte.

Quanto à recuperação, a maioria dos pacientes é estimulada a andar no primeiro ou segundo dia após a cirurgia – diferentemente do que ocorria no passado, quando se recomendava longos períodos de repouso na cama.

Tipos de cirurgias

Quase todas as cirurgias de coluna podem ser realizadas de forma
convencional (abertas) ou em procedimentos minimamente invasivos.
Estes últimos consistem em pequenas incisões na pele e menos manipulação dos tecidos, que propiciam menos dor no pós-operatório, menos riscos de infecção e brevidade na alta hospitalar e também de retorno das atividades diárias. Porém, nem todos os pacientes são candidatos às cirurgias minimamente invasivas.

É importante destacar que as cirurgias convencionais também evoluíram muito e hoje são realizadas com incisões bem menores que no passado, possibilitando, assim, uma rápida recuperação.

Rizotomia das facetas

Neste procedimento, agulhas são colocadas na região das articulações facetárias (parte posterior da coluna) para a realização de lesões no ramo medial do nervo espinhal. Este ramo é o responsável pela inervação das articulações facetárias. A lesão do mesmo pode proporcionar um grande alívio dos sintomas dolorosos na coluna lombar.

Microdiscectomia

É a remoção do disco intervertebral realizada para o tratamento da hérnia de disco. Normalmente é feita com uma pequena incisão na pele, contendo de quatro a cinco centímetros, e o uso do microscópio cirúrgico. Nestes casos, o paciente costuma ser liberado para caminhar algumas horas após a cirurgia e pode ter alta hospitalar no mesmo dia ou 24 horas depois.

Discectomia por Endoscopia

Também remove o disco intervertebral, realizado no tratamento da hérnia de disco. Normalmente é feita com uma incisão na pele ainda menor, de aproximadamente um centímetro. O paciente costuma ser liberado para caminhar algumas horas após a cirurgia e pode ter alta hospitalar em, no máximo, 24 horas.

Artrodese

A cirurgia de artrodese consiste em promover a fusão óssea das vértebras. Para isso são colocados pequenos fragmentos ósseos do paciente e enxertos sintéticos, associados a um sistema de parafusos para realizar a fusão óssea entre as vértebras. É indicada quando já há uma instabilidade da coluna ou quando se necessita descomprimir a raiz nervosa, removendo não só parte do disco intervertebral, mas ainda uma maior parte dos ossos posteriores da coluna.

Fixação dinâmica

Consiste em colocar um sistema específico de discos artificiais, parafusos e barras ou limitadores de movimento para que o segmento da coluna que está sendo operado tenha uma restrição de movimento. Este tipo de cirurgia é realizado em casos específicos em que a dor está relacionada a um discreto aumento da movimentação daquele segmento da coluna.

Agende sua consulta

Preencha o formulário abaixo e entraremos em contato para agendar sua consulta